Buscar

A Educação ambiental e o desenvolvimento sustentável

Por Laís Leite da Silva


A educação ambiental e o desenvolvimento sustentável devem caminhar juntos em busca da conscientização das pessoas para o melhor cuidado do planeta. É necessário levar em conta que é de grande importância os aspectos sociais e ambientais e toda a relação que esses assuntos têm com a economia, e a adoção de perspectivas globais de desenvolvimento. A educação ambiental quando usada como método de ensino, pode provocar nos cidadãos a criação de discussões a respeito dos problemas ambientais que afligem o planeta. Os assuntos que podem ser discutidos quando se trata de educação ambiental vão desde os direitos e deveres do cidadão, a importância de realizar uma correta coleta de lixo ou das consequências que esse lixo pode causar à saúde das pessoas. É necessário entender o conceito de proteção ao meio ambiente. E que a política pública, detentora e administradora de nossos impostos, possam trabalhar visando à melhoria e garantir a proteção dos recursos naturais, e dessa forma o desenvolvimento sustentável se tornará um legado para as próximas gerações.

O que vem ocorrendo atualmente é um grande crescimento de informações, conteúdo e cursos voltados à agricultura sustentável, que exercem um trabalho extremamente importante de educação ambiental, com foco no desenvolvimento de uma agricultura muito mais sustentável.

A Educação ambiental vem como um agente de mudança para uma agricultura sustentável, sem agredir o meio ambiente, não usar agrotóxicos, fixar o homem no campo e gerar uma alimentação de qualidade para a população. Um dos precursores foi a Agricultura Sintrópica que se encaixa entre os Sistemas de cultivo Agroflorestal (SAF). Esse sistema consegue reunir, em uma única área, a produção de frutas, hortaliças e madeira, além de gerar renda ao agricultor desde o início do plantio até muitos anos depois, tudo isso sem agredir o meio ambiente.



A proposta da agricultura sintrópica é conseguir restaurar, reordenar todo o ambiente natural e a floresta. A cada ano essas ideias vêm atraindo cada vez mais pessoas, interessadas na prática. Através deste tipo de agricultura, é possível recuperar áreas que estejam degradadas e ainda proteger o meio ambiente.


Principais vantagens da prática da agricultura sustentável:

  1. Recuperação de áreas degradadas e viabilidade econômica;

  2. Aumento da biodiversidade;

  3. Controle de pragas e doenças com equilíbrio ecológico;

  4. Gasto menor em comparação com o plantio tradicional;

  5. Produtos com maior qualidade em termos de nutrição.


Gostaria de realizar um projeto ou tirar dúvidas sobre área florestal com estudantes universitários especializados na área?


Entre em contato com a ESALQ Jr. Florestal pelo e-mail: tecnica@esalqjrflorestal.org.br


Referências bibliográficas:


ANDRADE, Dayana. O que é Agricultura Sintrópica? Agenda Gotsch, 03 ago. 2019. Disponível em: <https://agendagotsch.com/pt/what-is-syntropic-farming/>.


AZEVEDO, Julia. Agricultura sintrópica: benefícios e princípios. eCycle. Disponível em: <https://www.ecycle.com.br/agricultura-sintropica/>.


CDALGALLO. Educação Ambiental para agricultura sustentável. Sítio Pema, 21 jun. 2018. Disponível em: <https://www.sitiopema.com.br/educacao-ambiental-saf-agricultura/>.


MANEJE BEM. Sistemas Agroflorestais - Parte III. Maneje Bem. Disponível em: <https://www.manejebem.com.br/publicacao/novidades/sistemas-agroflorestais-parte-iii>.