Buscar

Compensação de Carbono: uma forma de combater o aquecimento global.

Por João Victor Scavasso


Desde o século 18, a quantidade de CO2 na atmosfera tem aumentado, como consequência da queima dos combustíveis fósseis e do desmatamento de regiões florestais. Podemos perceber esse aumento na concentração de gás carbônico no gráfico abaixo do Global Carbon Project . Esse aumento ocasionou uma intensificação do efeito estufa, fenômeno conhecido por regular a temperatura do planeta Terra, mas com o impacto cada vez maior causado pelas ações antrópicas, originou o que hoje nós chamamos de Aquecimento Global. O Aquecimento Global é o aumento da temperatura média do planeta e seus efeitos já são facilmente perceptíveis no dia a dia das pessoas. Por esse motivo, surgiu a necessidade do ser humano diminuir suas emissões de carbono e assim, a compensação de carbono se tornou um assunto muito interessante para empresas e governos.




Imagem: Global Carbon Budget, 2020



A compensação de carbono é uma forma de neutralizar as emissões de gases do efeito estufa, no qual o objetivo principal é atingir o equilíbrio entre a quantidade que foi emitida na atmosfera e a quantidade absorvida. Naturalmente, esses gases são consumidos pelas árvores, que transformam o CO2 proveniente da atmosfera em O2 pela ação da fotossíntese. Esse processo é conhecido desde 1771, quando o cientista inglês Joseph Priestley fez as primeiras observações sobre a fotossíntese. Como as emissões são em uma escala maior do que a quantidade absorvida pelas árvores, tornou-se necessário a utilização de outros mecanismos para a diminuição das emissões e com o avanço da sociedade moderna, surgiram outras possibilidades de mitigar a emissão de gases poluentes como a criação de veículos elétricos e a produção de energias renováveis, ambos devido ao avanço da tecnologia. Com isso surge o mercado de carbono, que segundo o indicador IHS Markit Global Carbon, já tem um valor de 206 bilhões de dólares.







Imagem: Viridis blog,2017




A compensação de carbono pode ocorrer de 2 formas: por meio dos créditos de carbono ou pelo plantio direto de árvores em uma propriedade. A primeira forma envolve a compra de créditos de carbono, um ativo digital, equivalente a uma tonelada de gás carbônico que deixou de ser emitida na atmosfera ( tCO2e) e assim, após todo o processo de auditoria, é gerado um crédito de carbono que pode ser comercializado. Essa comercialização acontece por meio de negociações entre geradores de créditos de carbono e a contraparte, que deseja diminuir ou neutralizar suas emissões. Esses créditos de carbono podem ser encontrados em mercados de capitais ou por meio de acordo direto com os geradores de créditos de carbono.


Imagem: Aquário de São Paulo,2020


Já a outra forma é o plantio direto de árvores com o objetivo de sequestrar carbono da atmosfera e diminuir os impactos de atividades poluidoras. Esse serviço demanda da participação de profissionais qualificados no assunto, tanto para o cálculo da quantidade de árvores necessária para neutralizar as emissões quanto para o plantio das espécies adequadas, uma vez que cada local pode ter características distintas. Após a realização do plantio das árvores, é possivel quantificar inúmeros benefícios ambientais que geram um impacto bastante positivo, pois além do sequestro do carbono da atmosfera, há o aumento da cobertura vegetal da área. É válido ressaltar que a Esalq Júnior Florestal realiza esse tipo de serviço de compensação de carbono com todos conhecimentos necessários para atingir sempre o melhor resultado.


Se você se interessou pelo assunto e quer saber mais sobre, entre em contato pelo e mail: tecnica@esalqjrflorestal.org.br



REFERÊNCIAS


GCP. Global Carbon Budget 2020. Publicado em 11/12/2020. Disponível em <https://www.globalcarbonproject.org/carbonbudget/20/files/GCP_CarbonBudget_2020.pdf> . Acesso em 30 de Julho de 2021



GLOBO.Estudos de seis cientistas ajudaram a desvendar o processo de fotossíntese. Rede Globo, 06/08/2011. Disponível em: <http://redeglobo.globo.com/globociencia/noticia/2011/08/estudos-de-seis-cientistas-ajudaram-desvendar-processo-de-fotossintese.html>. Acesso em 30 de Julho de 2021


ROCHA, Isabel. Mercado de crédito de carbono é avaliado em US$ 206 bi; veja como investir. Exame, 24/06/2021. Disponível em: <https://invest.exame.com/btg/credito-de-carbono-como-investir>. Acesso em 27 de Julho de 2021