Buscar

Florestas plantadas: como planejar e analisar seu investimento

Por Nathan de Oliveira Barreto


O Plantio de florestas para uso comercial vem se tornando cada vez mais discutido no agronegócio brasileiro; só no estado de São Paulo, a área de floresta plantada teve um crescimento de 92% entre os anos de 1999 e 2019, passando de 534 mil ha para mais de 1 milhão de ha. Muito se fala da produtividade, do tamanho das áreas plantadas, dos benefícios ambientais, sociais e econômicos dos plantios florestais, mas, e depois? O que fazer com esses dados? Como começar a plantar florestas? É mais rentável que o cultivo das principais culturas agronômicas?


Por onde começar?

Primeiro, florestas plantadas são investimentos, e como todo investimento há uma série de análises a serem feitas para diminuir riscos e planejar os rendimentos, já que plantios florestais têm ciclos que podem ser considerados de médio e longo prazo. Vamos supor que você quer investir na área florestal, mas não sabe por onde começar; o primeiro passo a se fazer é trabalhar com a finalidade do plantio, será um plantio de madeira para lenha, carvão ou madeira serrada? Tendo isso em mente, o próximo passo é definir o fluxo de caixa, para isso o ideal é ter a análise de um profissional especializado que trabalhe com dados mais próximos possíveis da realidade.


Tendo o fluxo de caixa definido, podemos realizar o nosso primeiro parâmetro econômico, o valor presente líquido (VPL). Basicamente, o VPL nos ajuda a medir a eficiência do retorno econômico, trazendo a diferença dos valores de entrada e saída do fluxo de caixa para valores presentes, por isso, ter uma boa noção dos custos e da receita futura é de extrema importância para o sucesso dos seus investimentos.


Comparando o seu investimento


A maioria dos investimentos é calculada em taxa de retorno anual. Assim, para que possamos comparar o investimento em floresta com as ações ou títulos que podem ser comprados na bolsa de valores, utilizamos a TIR (Taxa Interna de Retorno), que é expressa em percentual ao ano (a.a.). A TIR pode ser uma grande aliada na hora de decidir qual cultura plantar, por exemplo, um estudo realizado em 2013 na mesorregião centro-sul do Paraná fez uma comparação do plantio de Eucalipto com as culturas de milho e soja, considerando 3 cenários (o otimista, o provável, e o pessimista) como mostrado na tabela abaixo.


Fonte: VIANA et al., 2014.


A tabela nos permite afirmar que as culturas agrícolas sofreram maior variabilidade que o eucalipto, já que a TIR de milho e soja variou muito entre os 3 cenários, além disso, apesar do eucalipto não apresentar TIR maior que as culturas agrícolas nos cenários provável e otimista, o seu VPL é bem maior em todos os cenários.


Antes de se investir, deve-se pensar em lucro, riscos e tempo de retorno, esses três quesitos estão intimamente relacionados com a rentabilidade do investimento. Vamos supor que você tem acesso ao investimento com baixo risco, o qual oferece rendimentos de 6% ao ano, para que o investimento florestal compense para você, matematicamente, a TIR teria que ser maior que 6% a.a. No entanto, os riscos do investimento florestal são maiores que os do investimento anterior. Assim, você mesmo pode escolher o rendimento que o plantio florestal deve ter para se tornar atrativo, à isso damos o nome de Taxa Mínima Atratividade (TMA).


O Valor da terra


Por último, mas não menos importante, devemos pensar no valor da terra. Quando falamos em plantio, precisamos ter, em primeio lugar, onde plantar, desta forma, uma das avaliações econômicas mais importantes a se fazer é a do valor da terra, pois características como relevo, clima, solo, região, e muitos outros fatores têm grande influência na rentabilidade e finalidade do plantio. Vamos Imaginar que você não tem um local para plantar e está considerando alugar ou comprar uma terra, mas não tem ideia de quanto poderia pagar pelo uso ou compra dessa terra, para isso usamos o VET (Valor Esperado da Terra), desta forma obtemos o valor máximo para pagar pela terra e ainda ter lucro; é importante ressaltar que todos estes indicadores estão relacionados, por exemplo, se você já tem uma área para plantar, o valor de VET será 0, consequentemente a sua TIR ou seu rendimento serão maiores.


Com isso, é possível perceber a importância de um bom planejamento e de ter profissionais especializados para auxiliar nos seus investimentos florestais.




Referências Bibliográficas:


Projeto MapBiomas – Coleção 5.0 da Série Anual de Mapas de Cobertura e Uso de Solo do Brasil, acessado em 1 de maio de 2021, através do link:https://plataforma.brasil.mapbiomas.org/sil


BERGER, Ricardo et al. O EFEITO DO CUSTO DA TERRA NA RENTABILIDADE FLORESTAL: UM ESTUDO DE CASO PARA SANTA CATARINA. Floresta, Curitiba, v. 41, n. 3, p. 599-610, Jul./Set. 2011.


VIANA, Giomar et al. Análise de investimentos em projetos de agronegócios: um estudo comparativo entre culturas tradicionais e a cultura florestal de eucalipto na mesorregião centro-sul do Paraná. Custos e @Gronegócio, On Line, v. 10, n. 4, p. 0-12, dez. 2014.


48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo